Filmes e Ovas

A BATALHA DE ÉRIS





O Santo Guerreiro.

A deusa da discórdia, Éris, que ama o caos e a discórdia, foi aprisionada no passado dentro da Maçã de Ouro (É de onde vem o termo pomo da discórdia) que acaba caindo na Terra guiada pelo cometa Leparus. Ergue seu santuário e ressurge na época atual com o próposito de tramar contra a vida de Saori Kido, que é a reencarnação da deusa Atena. Éris reencarna temporariamente no corpo da jovem Eiri e sequestra Saori Kido com o objetivo de sugar todo seu cosmo. Para isso, coloca a maçã dourada no peito de Saori e começa a retirar a energia vital de Atena. Para evitar isso os cinco Cavaleiros de Atena levantam-se contra os cinco Cavaleiros Fantasmas, antigos cavaleiros de Atena, ressuscitados por Éris. Os cavaleiros de Atena têm até o pôr do sol para salvá-la e por fim às ambições da deusa do mal, que pretende ressuscitar se por completo e trazer a vida todos os guerreiros mortos no passado e condenados por Atena por cometerem atos diabólicos. Se Éris ressuscitar por completo este mundo estará perdido! Só os cavaleiros da esperança podem por fim a seus intentos malignos!
Primeiro filme da série. Vale a pena conferir.


A BATALHA DOS DEUSES


 



A Grande Batalha dos Deuses.
Segundo filme da série Os Cavaleiros do Zodíaco, foi lançado em 1988.
Foi um dos filmes mais populares dos Cavaleiros do Zodiaco, que serviu de base para a criação da Saga de Asgard no anime.
O filme é inspirado na mitologia nórdica, desfocando um pouco da grega que até então era mais abordada.
Inicialmente lançado em VHS no Brasil. Posteriormente foi redublado e lançado em DVD.
O filme começa com Hyoga salvando um soldado de Odin, mas este morre dizendo que a batalha dos deuses iria começar. O cavaleiro de cisne desaparece e, então, os outros cavaleiros de bronze vão para Asgard tentar descobrir o seu paradeiro, porém Saori Kido é sequestrada pelo representante de Odin, Durval. Assim começa uma batalha contra os Guerreiros de Asgard.




FILME: A BATALHA DE ABEL






A Lenda dos Defensores de Atena

Abel, filho de Zeus e irmão de Atena, deus do sol, tenta destronar seu pai e se tornar o deus dos deuses, mas foi derrotado por Zeus e Apolo. Após a morte de Abel, os deuses apagaram todos os registros de sua existência como punição, para que as gerações vindouras jamais soubessem de sua existência.
Porém, devido às blasfêmias humanas nos dias atuais, os deuses revivem Abel, dando-lhe a missão de destruir a humanidade e devolver a Terra para o domínio do Olimpo.
Abel, então, revive três cavaleiros de Atena que viveram na era mitológica, que passam a ser chamados de cavaleiros da Coroa do Sol. Todos eles são protegidos por armaduras de bronze de Atena, reforçadas com armaduras da coroa do sol, por Abel. Os Cavaleiros de Ouro mortos na saga das doze casas também são rescussitados para que lhe ajudem na sua missão.
Após reecontrar Atena, Abel diz que irá levá-la ao Santuário da coroa do sol com seus guerreiros, o que a leva a abandonar os Cavaleiros de Bronze. Saori no começo mente para Abel, dizendo que aceita a destruição da Terra pelos deuses, mas depois ataca Abel e acaba sendo morta por seu irmão que diz que levará sua alma até os Campos Elíseos.
Incorfomados com a morte de Atena, os cavaleiros decidem enfrentar os ressuscitados Cavaleiros de Ouro e os Cavaleiros da Coroa do Sol, mesmo que isso signifique pecar contra os deuses. Saga, Shura e Camus decidem lutar por Atena e acabam sendo mortos pelos guerreiros de Abel. Máscara da Morte e Afrodite permanecem fiéis a Abel, mas são derrotados por Shiryu e Ikki, respectivamente.
Ao contrário do que foi dito na revista "Herói" que saiu no Brasil na década de 1990, Abel não tem ligação alguma com o personagem da mitologia babilônica. Ele é um personagem inventado especialmente para o filme, inspirado em relatos de mitologia que diziam que Zeus teria um filho que o superaria se nascesse, sendo Zeus obrigado a impedir o nascimento de tal filho.
O filme antecipa acontecimentos da Saga de Poseidon (Hyoga e Shiryu vestindo armaduras de ouro), e da Saga de Hades (ressurreição dos cavaleiros de ouro).





OS GUERREIROS DO ARMAGEDON






Os Guerreiros do Armagedon 

O quarto filme do anime da série Os Cavaleiros do Zodíaco.
A história deixa de lado seus usuais contextos mitológicos para girar em torno do cristianismo. Foi o filme mais polêmico da série, tanto que uma das cenas foi cortada por mostrar uma Bíblia sendo queimada.
Foi lançado no Brasil em VHS com o título "A Batalha Final". Posteriormente foi relançado em DVD com nova dublagem e com o título "Os Guerreiros do Armageddon".
Ao contrário de todos filmes anteriores que não se encaixavam na cronologia da série, este filme se passa após os confrontos com Poseidon, Éris e Abel, visto que Lúcifer só pôde retornar à Terra com o esforço dos espíritos dos três deuses já derrotados pelos cavaleiros de Atena.

Lúcifer era um dos anjos mais poderosos, dotado de beleza e intelecto pelo Deus Onipresente, mas tentou ser superior a Deus e acabou sendo derrotado pelo Arcanjo Miguel (representado por Atena na mitologia grega).
Após derrotarem os deuses Poseidon, Éris e Abel, Atena e seus cavaleiros acreditaram que finalmente haveria paz sobre a Terra. Ledo engano, pois quando as almas dos três deuses se juntaram no inferno, Lúcifer foi despertado.
Durante a noite, os "Anjos da Morte", subordinados de Lúcifer, atacam os Cavaleiros de Ouro no santuário e Lúcifer invade o templo de Atena, impiedosamente degolando a estátua da deusa que significa a paz sobre a Terra.
A partir daí começam uma série de desastres naturais, todas orquestradas pelos três deuses malévolos ressuscitados pelo Senhor dos Demônios: Poseidon devasta cidades litorâneas inteiras com seus maremotos gigantes, Abel desperta todos os vulcões para dissolver o mundo em lagos de fogo e cinzas, e Éris cria pestes mortais para dizimar todos os seres vivos existentes.
Mais tarde, Atena percebe que o ocorrido só poderia ter sido feito por alguém terrivelmente maligno, nessa hora Lúcifer em pessoa aparece com seus subordinados, os quatro Anjos da Morte, e diz que chorar não adiantará nada. Seiya, Shun e Hyoga decidem lutar, mas são facilmente derrotados, pois estavam sem suas armaduras. Lúcifer vai embora e diz que estará esperando por Atena no Pandemônio.


FILME: PRÓLOGO DO CÉU






Prólogo do Céu.
Saint Seiya: O Prólogo da Saga dos Céus ~Abertura~) é o quinto filme da série Os Cavaleiros do Zodíaco. O filme foi exibido dia 14 de Fevereiro de 2004 e lançado oficialmente no dia 2 de novembro de 2006 no Brasil. O DVD oficial foi lançado no dia 24 de Setembro de 2004 no Japão e em 2007 no Brasil. Ao contrario dos quatro primeiros filmes da serie, este segue a cronologia do anime.
Foi produzido pela Toei Animation após o sucesso da saga de Hades, e em comemoração aos trinta anos de carreira do mangaka Masami Kurumada.
O filme tem um foco mais adulto, tanto no vocabulário quanto no enredo, sendo assim não se trata mais de um anime shōnen já cresceu e tornou seinen, assim como a maioria de seus fãs cresceram e se tornaram adultos.
O filme se passa após os eventos da Saga de Hades. Depois das guerras santas contra Poseidon e Hades, os deuses do Olimpo ficam furiosos com Atena e seus cavaleiros.
Artemis, a deusa da Lua, surge com o intuito de castigar os Cavaleiros de Bronze por terem se voltado contra os deuses. Para protegê-los, Saori Kido oferece a Terra à Artemis e jura sua própria vida como promessa de que eles nunca mais lutariam. O acordo então é aceito e a Deusa da Lua passa a governar a Terra.
Entretanto, ao verem o Santuário de Atena dominado, os Cavaleiros se rebelam, mesmo não entendendo ao certo o que estava acontecendo. Assim, Saori teve que entregar sua vida, já que havia prometido que Seiya e os outros nunca mais lutariam. É neste momento que seu sangue passa a ser derramado. Como os guerreiros estavam lutando contra a vontade de Atena, os mesmos estavam muito fracos, sendo golpeados facilmente durante as lutas.
No decorrer do filme alguns fatos são explicados, como o irmão de Marin ser Tohma (Ícaro), e não Seiya. Os cavaleiros de ouro, que morreram na destruição do Muro das Lamentações, têm suas almas seladas pelos deuses do Olimpo como forma de punição

Um comentário:

The Next Last disse...

Muito bom esse artigo, me ajudou pra caramba!